Arquivo do mês: abril 2010

Menino do pijama listrado

As mais diferentes visões do trágico período do nazismo, que deixou uma cicatriz indelével na história contemporânea, já ganharam espaço em inúmeros filmes. O Menino do Pijama Listrado tem na manga o trunfo de explorar de maneira única a forma como um menino de oito anos enxerga o envolvimento de sua família no regime nazista. O diferencial acaba fazendo com que ele se destaque dentre outros dramas com temática  semelhante.

Baseado no livro homônimo do irlandês John Boyne, O Menino do Pijama Listrado é acompanha a história de Bruno. Em meio à Segunda Guerra Mundial, em Berlim – onde o nazismo encontra seu terreno mais fértil -, o menino acompanha de longe as atividades do pai (David Thewlis), um destacado militar do exército de Hitler. Sua mãe (Vera Farmiga) acompanha com pouco entusiasmo as atividades do marido, diferentemente da irmã do menino, Gretel (Amber Beattie).

Quando a família é obrigada a se mudar para uma cidade no interior da Alemanha por conta das responsabilidades do pai junto ao regime nazista, Bruno se vê sozinho em meio a um ambiente inóspito. Sem freqüentar a escola, sente falta dos amigos e de pessoas de sua idade com quem possa brincar.

O principal foco do filme é mostrar o ponto de vista do menino Bruno, que não compreende à primeira vista a realidade que começa a ver pela janela de sua nova casa, cercados de muros altos e sempre guardados por sentinelas. Com sua natural curiosidade infantil, vê da janela  um campo de concentração, o qual o menino é incapaz de identificar, mesmo com tamanha proximidade com o regime nazista. Bruno demora a descobrir as atrocidades que ocorrem lá e, com sua ingenuidade extrema, explora os arredores e acaba ficando amigo de Shmuel (Jack Scanlon), menino judeu preso no campo. A amizade se desenvolve tendo como separação a cerca eletrificada que separa esses mundos tão distintos na aparência, mas tão semelhantes em sua essência.

Apelando para o estreitamento desse laço de amizade, a ação carrega Bruno até  o último limite da sua curiosidade: estar dentro da cerca com Shmuel. O final dele é previsível e existe uma espécie de letreiro de neon piscando desde o começo do filme, nos preparando e dizendo que esse final não é bom, tanto pra Bruno como para Shmuel, e a cena dos garotos se dando as mãos e finalmente apagando as supostas diferenças que os separam faz dos dois uma coisa só.

Por meio de sua história, não é difícil saber que O Menino do Pijama Listrado é um melodrama. O tema já é bem impactante e a forma como ele é apresentado por meio desta trama já bastam para comover o público. Mas o que faz toda a diferença é a visão infantil do protagonista em relação a essa situação tão revoltante e trágica. A direção é clássica e a trilha sonora é mais presente do que o necessário, o que pode incomodar, mas não compromete. No fundo, a verdadeira força de O Menino do Pijama Listrado é a história que o longa se propõe a contar.

Por Marina Scalon

Gentileza

Apagaram tudo

pintaram tudo de cinza

a palavra no muro ficou coberta de tinta

apagaram tudo

pintaram tudo de cinza

só ficou no muro tristeza e tinta fresca

nós que passamos apressados

pelas ruas da cidade

merecemos ler as letras e as palavras de gentileza

por isso eu pergunto a você no mundo

se é mais inteligente o livro ou a sabedoria

o mundo é uma escola

a vida é um circo

amor palavra que liberta

já dizia um profeta.

Através da música, Gentileza de Marisa Monte é possível uma reflexão a partir do trabalho, muitas vezes não reconhecido, de uma expressão de arte que embora presente há tempos ainda não foi legitimada como tal. ”Hoje é usado tintas em spray ou mesmo em latas e são pintados idéias e signos. Diferentemente da antiguidade, onde os homens primitivos pintavam cervos e bisões.”- Julio César(Raseck), grafiteiro de Guarulhos.

Em 1970, tanto nos Eua quanto no Brasil, mais especificadamente em Nova York e São Paulo, alguns jovens começam a deixar suas marcas nas paredes da cidade, essas evoluíram com técnicas e desenhos se dando o aparecimento do grafite.

Grafite é o termo empregado à um desenho pintado ou gravado sobre um suporte que não é normalmente previsto para esta finalidade, eventualmente em espaço público.

Conhecido como arte urbana ou street art, o grafite pode ser considerado como uma expressão incluída no âmbito das artes visuais. Para sua interpretação é necessária outra forma de leitura, na qual não se lê menos, mas, sim, de outra maneira.

Associa-se também essa arte ao genêro das tribos do hip-hop, aos punks da década de 70, valendo ressaltar que os próprios grafiteiros formam também uma tribo urbana, com sua própria linguagem, expressa em gírias tais como Crew( conjunto de grafiteiros que se reunem para pintar juntos), Tag(é a assinatura do grafiteiro), Tog( o grafiteiro que tem muita experiencia), entre outras.

Segundo o autor Bourdieu é necessário se considerar que os campos culturais são regidos por suas próprias leis. Vale frisar que todo esse âmbito cultural sofreu um processo de hibridação no qual a formação do grafite se deu graças a uma fusão entre essas tribos de manifestações culturais.

Partindo a uma reflexão mais ampla, podemos citar o filósofo alemão Friedrich Nietzsche. Segundo esse, que almeja a cultura superior e valoriza a arte simbólica, é necessária a criatividade na produção de obras de arte. Justamente o propósito dos grafiteiros.

Associando ainda a outra questão criticada pelo filósofo, a Indústria Cultural na qual Nietzsche considera como apenas uma reprodução da arte simbólica,  podemos entrar na questão dos direitos autorais. Segundo a concepção jurista predominante nos países da América Latina, atribui-se a propriedade intelectual aos criadores das obras literárias, artísticas, musicais, audiovisuais ou cientifica, o que nos remete a uma questão pertinente em relação ao grafite.

Por ser feito, principalmente, em espaços públicos ocorre muitas vezes a cópia do trabalho ou ainda o atropelamento. Porém os integrantes dessa tribo cultural, na sua grande maioria, possuem respeito pelo trabalho alheio. “Cada artista deve buscar o seu estilo, se diferenciar dos demais, acrescentar algo a cultura urbana, e principalmente quando o assunto é atropelar (pintar por cima de um local já pintado) o trabalho dos outros. Esse para mim é o verdadeiro direito autoral, aquele muro pintado é de quem fez, tenho que procurar outro local para fazer o meu.” Afirma Thiago Pinone, grafiteiro de Guarulhos.

Ainda em termos nacionais podemos citar a reestruturação feita pelos grafiteiros brasileiros – que incrementaram a arte do grafite um toque brasileiro em relação ao dos Estados Unidos – possibilitando com que hoje o grafite do Brasil seja reconhecido como um dos melhores do mundo.

A questão do reconhecimento dos trabalhos dos grafiteiros não menos relevante a nossa análise. Apesar de o grafite já estar presente na nossa realidade cotidiana há algumas décadas, grande parte da sociedade brasileira não conseguem o reconhecer como arte. O grafite é associado muitas vezes a pichação, o que desagrada parte dos artistas dessa manifestação cultural.

Muitas polêmicas giram em torno desse movimento artístico, pois de um lado o grafite é  desempenhado como qualidade artística, porém como relatado alguns o consideram como poluição visual e vandalismo. A pichação ou vandalismo é caracterizado pelo ato de escrever em muros, edifícios, monumentos e vias públicas. Contudo vale ressaltar que esse quadro apesar de sofrer muito preconceito, já está sendo alterado, uma vez que pessoas mais esclarecidas(e na sua maioria jovens), já conseguem reconhecer o valor do grafite como arte.

Por Marina Scalon

IRREVERSÍVEL

Um filme que mexe com os nervos do expectador é “Irreversível”. O longa poderia ser apenas mais um filme com uma história banal de vingança, mas o diretor Gaspar Noé conta a história totalmente ao contrário. No começo incomoda o expectador com cenas confusas e perturbadoras e depois a história vai se desenrolando de maneira chocante. A atriz Mônica Bellucci, que foi considerada a mulher mais sexy do mundo em 2004 pela revista masculina Maxim’s, mostra mais do que nunca suas belas curvas nas cenas de sexo e nudez. A atriz contracena ao lado de seu marido,Vincent Cassel,que interpreta seu namorado no filme. Irreversível causou polêmica quando foi apresentado no festival de Cannes em 2002, fazendo metade da sala se retirar com as cenas violentas e de alto impacto. Foi exibido na mostra panorama do cinema mundial, no festival do rio 2002 e ganhou o cavalo de bronze, no festival de Estocolmo.

 Conheça um pouco sobre o filme….

 O filme começa com Marcus tentando vingar o estupro da namorada. Eles tinham ido a uma festa junto com Pierre, o ex-marido da moça. Durante a noite Marcus bebe, se droga e faz loucuras. A namorada briga com o rapaz e vai embora da festa sozinha. A trama chega a seu ápice quando Alex é violentada por um drogado enfurecido. A cena é chocante e dura cerca de 10 minutos sofridos e agoniantes. Marcus e Pierre descobrem sobre o abuso e furiosos resolvem ir atrás do bandido com sede de vingança. É difícil se manter tranqüilo durante o filme, pois a tensão toma conta da tela desde o inicio com imagens que provocam desconforto e náuseas tentando transmitir o que os personagens sentem. sem contar a cena impressionante em que um homem é espancado com um extintor de incêndio. O filme do diretor Gaspar Noé é real e inovador, provoca no expectador um desentendimento e as respostas só são descobertas quando chega ao final do filme, ou melhor, no início da história dele.

 Corra para a locadora e assista Irreversível, mas atenção! Só pode assistir quem tem estômago forte.

Acompanhe algumas cenas no vídeo abaixo!!!

Por Mel Cândido

Realidade e ficção misturadas

Você já se imaginou como vítima de uma chacina, ou então, como uma   pessoa envolvida em um grande assassinato da história?

Se você nunca imaginou,”Elefante”, do diretor americano Gus Van Saint irá fazer isso e muito mais, pode acreditar.

A história retrata os assassinatos cometidos por 2 alunos da escola norte-americana, columbine high school. A chacina ocorreu em 1999. Deixando, entre professores e estudantes, 15 mortos.

A trama é contada através de diversos pontos de vista como o do garoto john, o da introvertida michelle, zombada pelas colegas e de elias, um rapaz apaixonado pela arte de fotografar. O mais interessante é que esse leque de situações se completa ao longo do filme.

Através de cenas longas, os estudantes são acompanhados pelos corredores da escola, o que permite ao espectador sentir realmente o que os alunos estavam vivendo. Os diálogos entre eles abordam assuntos comuns da idade, inclusive  questões polêmicas como, homossexualismo, bulimia e problemas com bebidas.

O filme desperta para um profundo questionamento sobre a violência e o verdadeiro motivo que levou os assassinos, eric e alex, a matarem os colegas.

 Não esqueça de conferir os extras do dvd. Lá, você pode ver o diretor gus van sant em ação e ainda, os comentários e opiniões dos atores a respeito das filmagens e do caso da columbine high school.

A hora do Planeta

A hora do Planeta e um movimento mundial com a finalidade de mobilizar pessoas do mundo todo na luta contra o aquecimento global, que a cada ano se torna mais preocupante. A proposta e cada um fazer sua parte, apagando todas as luzes por 60 minutos, em um ato simbolico a favor da natureza. O inico desse movimento se deu na Australia em 2007 conscientizando um total de 371 cidades. A obra de arte que ilustra o movimento foi criado por Shepard Fairey. O movimento conta com o apoio dos lideres de todas as nacoes e tambem de um mioria gritante da populacao mundial.

Por Fernanda Lima

Design de Joias

Hoje em dia vem sendo continuo o crescimento relacionado a design de joias. Isso acontece principalmente porque as pessoas, e nao so mulheres como muitos podem pensar, se interessam por esse trabalho. A originalidade e item essencial na hora de trabalhar nesse ramo, o designer precisa revelar uma expressao particular, gerando sua marca pessoal, pois e isso que fara de seu trabalho mais reconhecido e diferenciado. Para ser um bom especialista nesse assunto e se tornar grande desgner e essencial saber das mais variadas tecnicas de producao. Cada designer possui uma caracteristica particular na hora da criacao, tudo depende da inspiracao de cada um, naquele momento. Se tornar um profissional de destaque nessa area , requer muito talento e ideias inovadoras, se destacando pela diferenciacao.

Por Fernanda Lima

O diário de um objeto digital

Sou fino, de cor vermelha, diferente dos comuns, tenho varias utilidades, sou consideravelmente pequeno e portátil. Considero-me atraente, pois, quando me vêem logo já querem me pegar, apertar, ver meus detalhes… Moro em diversos lugares, às vezes escuro, as vezes claro e visível. Nas maiorias das vezes fico de costas para cima ou vice-versa. Tenho uma temperatura estável, mas quando pratico minhas atividades ou quando estou me alimentando posso ficar quente. Existem amigos que ao ter uma alimentação não muito balanceada explodem! Fico tão preocupado com isso, que quando estou cheio envio um aviso ao meu dono. Meu dono é um adulto saindo da adolescência, tem 23 anos, e chama-se José, me trata como um filho, gosto tanto dele. Leva-me para todos os lugares que vai, tem receio de me emprestar até para amigos mais próximos e não me deixa sozinho nem na hora de dormir! É…somos inseparáveis, um amigo e tanto, por isso, faço o possível e o impossível para não deixá-lo na mão. Confesso que às vezes, de tão fraco, não consigo segurar o sono, e acabo dormindo quando José está falando comigo, mas ele me entende. Estou um pouco velho e sinto que mais dia menos dia vou pifar, mesmo assim, sou muito feliz, pois, colaboro com meu dono e faço o que posso para trazer mensagens de alegria, de festa, e até de amor! Chego até mandar recados para amigos sem esforço algum, além de carregar imagens sem reclamar! João tinha uma namorada que, na verdade, eu não gostava muito, ela era irritante com voz estridente e me deixava exausto com tanta ladainha. Na semana passada entreguei um recado de uma amiga ao meu dono. Ah… não imaginava o que estava por vir. A namorada leu o recado, brigou umas 2 horas seguidas. Já estava ficando com fome e fraco, quando, o feitiço virou contra o feiticeiro: ela me atirou na parede. Minha vida virou um breu… Foi como se tivesse levado um tiro e, por um momento não senti dor, fiquei sem ar. Fui socorrido imediatamente, mas, o medico disse que nunca mais seria o mesmo. Minha memória não anda muito boa, não guardo mais nada nela, e pouco me lembro dos números de telefones dos amigos e da família. É triste! Às vezes desmaio e fico horas sem acordar. Um dia desses o médico disse ao meu dono que qualquer hora vou apagar e, talvez, não acordo mais. O pior de viver nessa situação é que quando estou fraco, José que não está muito acostumado com minha lerdeza e sem muita paciência, logo se irrita e me deixa de lado. Preciso de mais atenção e carinho pra quem sabe um dia desligar-me em paz. Afinal, sou um celular!

Por Giulia Tres